O COLORIDO DOS NUTRIENTES

o-colorido-dos-nutrientes

Em meio a altos níveis chocantes de obesidade, excesso de peso e casos de infarto, cada vez mais o consumidor brasileiro tem buscado consumir alimentos saudáveis, com uma rotina diária de exercícios físicos. Para tanto, surge a necessidade de tomar conhecimento da qualidade nutricional dos alimentos e bebidas, através das informações inseridas nos rótulos. Ocorre, que a fonte dessas informações é tão minúscula que torna-se impossível a sua leitura; sem falar que essa avaliação nutricional é feita pelo consumidor no ambiente movimentado do supermercado, e como a maioria deles não possui um alto nível de conhecimento nutricional para entender, por exemplo, se a quantidade de nutrientes em 8,6 g de gordura saturada e 7,6 g de açúcar, é alta ou baixa, acabará perdido em confusão, ao tentar fazer uma escolha mais saudável. Diante dessa realidade, a melhor maneira de ajudar o #consumidor a avaliar rapidamente a qualidade nutricional dos produtos, sem precisar vasculhar a embalagem, é o governo brasileiro tornar obrigatória a implantação de rotulagem front-of-pack com código de cores, que já é muito utilizado por alguns países da Europa.

1 – ROTULAGEM FRONT-OF-PACK (FOP) COM CÓDIGO DE CORES

O rótulo com código de cores é uma intervenção proeminente no nível da população para a comunicação de informações nutricionais.

Um dos tipos de código de cores, popularmente conhecidos como “rótulo de semáforo”, o rótulo é colocado na frente da embalagem, permitindo ao  consumidor obter uma imagem rápida e precisa da qualidade nutricional de um determinado alimento ou bebida. Ele fornece informações sobre quatro nutrientes principais (gordura, gorduras saturadas, açúcar e sal),  definindo uma cor específica para cada um desses nutrientes, com variação de tonalidade correspondente às quantidades.

o-colorido-dos-nutrientes

Em 2017 a França foi o segundo país da Europa a fazer uso do rótulo de semáforo, mas logo em seguida, depois de uma quantidade considerável de pesquisas, decidiu substituí-lo pelo Nutri-Score, considerando tratar-se de um melhor sistema para os consumidores franceses identificarem os #nutrientes dos produtos.

O Nutri-Score também usa cores para ajudar os consumidores na escolha de alimentos e bebidas mais saudáveis, mas diferem do rótulo de semáforo ao fornecer uma “pontuação” global e mais abrangente para os #produtos, indo de A (verde escuro) a E (laranja escuro). Outra vantagem é que o cálculo da pontuação é baseado em elementos positivos (para frutas e vegetais) e negativos (para gordura saturada ou teor de açúcar).

o-colorido-dos-nutrientes

Em agosto do ano passado, a Bélgica anunciou que estava seguindo o exemplo da França e fez uma recomendação oficial para o uso do Nutri-Score.

Hoje, graças à legislação da União Europeia, os consumidores tomam decisões de compra em questão de segundos, após identificarem facilmente nas embalagens, através dos códigos de cores, as quantidades de nutrientes, como #proteínas ou açúcar, por 100 g do produto.

2 – CONCLUSÃO

Numa altura em que as doenças relacionadas com a alimentação estão a subir vertiginosamente, está comprovado que a presença dos rótulos front-of-pack (FOP) nas embalagens para identificar a quantidade de nutrientes, acabam fornecendo aos #consumidores informações concisas e de fácil compreensão sobre o perfil nutricional dos produtos alimentícios, melhorando a sua compreensão e percepção, e  influenciando a sua intenção de compra.  (Gilbert Lorens – Advogado: OAB/BA. 14.396 – Especialista em Relações de Consumo)

NOTA EDITORIAL: O conteúdo editorial desta matéria não foi fornecido ou comissionado por qualquer empresa, assim como, não foram revisadas, aprovadas ou endossadas por elas, antes da publicação. As opiniões, análises, resenhas, declarações ou recomendações expressas neste artigo são de responsabilidade exclusiva do autor.

consumidor-radical

Deixe uma resposta